Estadão

De Real para Realidade

i x Efeitos sonoros
Últimas Notícias

Justiça bloqueia R$ 416 milhões do ex-prefeito de Belém

Leia maisFechar
Julia Affonso 07/12/2017, 05h00 Juiz Rubens Rollo D\'Oliveira, da Operação Forte do Castelo, ordenou a indisponibilidade de ativos de Duciomar Costa (PTB), o \'Dudu\' e também proibiu a Prefeitura da capital paraense de fechar contratos ou fazer pagamentos administrativos a empresas ligadas a ele

Duciomar Costa. 2004.
Foto: DIDA SAMPAIO/AGÊNCIA ESTADO/AE

O juiz da 3.ª Vara Federal Criminal, Rubens Rollo D’Oliveira, de Belém, mandou bloquear R$ 416.131.044,82 do ex-prefeito da capital paraense Duciomar Costa, o ‘Dudu’ (PTB), na Operação Forte do Castelo. O confisco do mesmo valor alcança ainda a mulher de ‘Dudu’, Elaine Baia Pereira, e sua cunhada Ilza Baia Pereira.

‘Dudu’ e a mulher foram presos pela Polícia Federal na sexta-feira, 1. A Justiça colocou o casal em regime domiciliar.

+ A. Gutierrez repassou R$ 7,7 mi a empresas ligadas a ex-prefeito de Belém, diz Forte do Castelo

Receba no seu e-mail conteúdo de qualidade

Logo você receberá os melhores conteúdos em seu e-mail.

Mulher do ex-prefeito de Belém aumentou patrimônio em 200 vezes, diz Procuradoria

+ Grupo que desviou R$ 400 milhões não tinha capacidade financeira, diz PF

A PF e a Procuradoria suspeitam que ‘Dudu’ comandava organização criminosa que teria desviado R$ 400 milhões dos cofres públicos por meio de fraudes a licitações durante sua gestão na capital paraense, entre 2005 e 2012, por meio de contratos no âmbito das Secretarias de Comunicação, Habitação e Urbanismo.

Emails mostram que ex-prefeito de Belém orientou assessora a abrir empresa da fraude

+ Procuradoria vê fraude de ex-prefeito de Belém até em licitação de obra de favela

O prejuízo já identificado pela Operação Forte do Castelo inclui recursos federais do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), convênios celebrados com o Ministério do Esporte e repasses do Banco Nacional do Desenvolvimento (BNDES) e do Fundo Nacional de Saúde (FNS).

Duciomar foi senador entre 2002 e 2004 e prefeito de Belém entre 2005 e 2012.

A Justiça ordenou também o bloqueio de duas empresas controladas pela mulher de ‘Dudu’: R$ 231.005.839,49 da Metrópole Construção e Serviços de Limpeza e R$ 181.620.244,80 da SBC (Sistema Brasileiro de Construção).

O Ministério Público Federal, no Pará, identificou que a empresa SBC (Sistema Brasileiro de Construção) firmou contratos com a Prefeitura da capital paraense no montante total de R$ 288 milhões, entre 2009 e 2011. Já a Metrópole Construção e Serviços de Limpeza fechou contratos com o Executivo de Belém sem ter empregados registrados.

Por ordem do juiz da Forte do Castelo, as duas empresas e também a Brasil Ambiental não podem mais receber pagamentos da Prefeitura de Belém. O magistrado mandou expedir um ofício ao Executivo municipal ‘proibindo a realização de novos pagamentos administrativos às empresas’ e também ‘a celebração de novos contratos com as mesmas’.

Rubens Rollo D’Oliveira determinou ainda o confisco de veículos em nome dos investigados e a indisponibilidade de um imóvel do ex-prefeito. O juiz ordenou ‘a expedição de ofício ao Cartório de Registro de Imóveis de
Bragança, determinando-se, de imediato, a indisponibilidade do bem imóvel denominado “Fazenda Tangará”, de propriedade de Duciomar Gomes da Costa’.

COM A PALAVRA, ‘DUDU’

A reportagem está tentando contato com a defesa de Duciomar Costa, o ‘Dudu’. O espaço está aberto para manifestação.

COM A PALAVRA, ELAINE PEREIRA

A reportagem está tentando contato com Elaine Pereira por e-mail. O espaço está aberto para manifestação.

R$ 400.000.000,00 = 3.333.333 Vacinas H1N1
Linhas existentes - 335 km
Linhas que poderiam existir - 934 km
N

São Paulo

10 km
Vacinas dos últimos anos
Vacinas que poderiam ser compradas
Aedes aegypti - transmissor da Dengue / Chicungunya / Zica
Nº de repelente
14.964 casos de 2013 a 2016
1.125 cartelas de Tamiflu
225 casos por H1N1
Foto: Fábio Motta | Fonte base conversão: Estadão
Notícias Relacionadas

Neste momento em que o País passa por uma situação crítica, com deficiência de serviços públicos básicos, diariamente há um volume de denúncias e suspeitas de desvio de dinheiro de proporções sempre surpreendentes. Milhares, milhões, bilhões. São cifras tão grandes que fica difícil para os leitores entender a real dimensão do problema. Com a ferramenta “De Real para Realidade”, o leitor vai poder interagir com as matérias do jornal, convertendo as quantias em benefícios como vacinas H1N1, ambulâncias, repelentes, casas populares, quilômetros de metrô, entre outros, conectando as notícias de onde o dinheiro desaparece com as notícias de onde ele está faltando.

Fonte base conversão: Estadão
O valor base de conversão de Ambulâncias é de R$ 82.406, baseado nas fontes fornecidas pelo Estadão Ambulância: R$ 82.406
O valor base de conversão de Caminhões-pipa é de R$ 516 (15 mil litros), baseado nas fontes fornecidas pelo Estadão Caminhão-pipa: R$ 516 (15 mil litros)
O valor base de conversão de Casas Populares é de R$ 200.000, baseado nas fontes fornecidas pelo Estadão Casa Popular: R$ 200.000
O valor base de conversão de Quilômetros de Metrô é de R$ 296.000.000, baseado nas fontes fornecidas pelo Estadão Km de Metrô: R$ 296.000.000
O valor base de conversão de Merendas Escolares é de R$ 2,22, baseado nas fontes fornecidas pelo Estadão Merenda Escolar: R$ 2,22
O valor base de conversão de Quadras Poliesportivas é de R$ 44.450, baseado nas fontes fornecidas pelo Estadão Quadra Poliesportiva: R$ 44.450
O valor base de conversão de Repelentes é de R$ 12, baseado nas fontes fornecidas pelo Estadão Repelente: R$ 12
O valor base de conversão de Tamiflus é de R$ 199 (75mg), baseado nas fontes fornecidas pelo Estadão Tamiflu: R$ 199 (75mg)
O valor base de conversão de Vacinas H1N1 é de R$ 120, baseado nas fontes fornecidas pelo Estadão Vacina H1N1: R$ 120
O valor base de conversão de Viaturas Policiais é de R$ 51.266 (Palio Weekend), baseado nas fontes fornecidas pelo Estadão Viatura Policial: R$ 51.266 (Palio Weekend)